Prefeitura fará estudo técnico para avaliar transporte público

07/03/2017 -

Fonte.: Diário do Grande ABC


Imagem

A Prefeitura de Santo André publicou ontem edital de chamamento para empresas interessadas em produzir estudo técnico sobre o transporte público da cidade. Anunciada pelo prefeito Paulo Serra (PSDB) durante o processo eleitoral do ano passado, a medida tem como objetivo reavaliar as necessidades do sistema de coletivos do município, incluindo análises sobre itinerários e crescimento da demanda de usuários.

Visto dentro do Paço como uma oportunidade para sanar a defasagem de linhas municipais e aprimorar o sistema de transporte público da cidade, o processo, com custo estimado de R$ 1,4 milhão, é o primeiro passo dado pelo prefeito Paulo Serra para que o edital para concessão do sistema de coletivos da região da Vila Luzita seja colocado na rua.

Isso porque a vencedora do certame também ficará responsável pela elaboração de projeto básico e proposta de viabilidade econômico-financeira para a subconcessão do sistema de transporte da Vila Luzita. Atualmente, o documento é único item pendente para que o Paço inicie o processo de seleção de empresa que irá assumir a operação de ônibus da área pelos próximos dez anos.

Conforme antecipado pelo prefeito Paulo Serra, em entrevista ao Diário na sexta-feira, a expectativa da administração é a de que o processo seja concluído em prazo de até 120 dias após a publicação do edital.

“A elaboração deste documento é uma oportunidade que o Paço tem para conhecer as atuais necessidades dos usuários. O sistema que temos hoje conta com itinerários e linhas desatualizados. Santo André cresceu e precisamos acompanhar esse ritmo”, relatou Serra.

Sem qualquer previsão para que o documento de fato seja entregue à Prefeitura para análise, a expectativa agora é a de que a administração lance nos próximos dias novo edital para definição do futuro da operação de 15 linhas de ônibus na região da Vila Luzita, hoje gerenciada de maneira emergencial pela Suzantur.

A um mês para o encerramento do contrato com a empresa, a Prefeitura segue estudando medidas judiciais para que 50 mil passageiros não sejam afetados com a paralisação do serviço.

Sem poder prorrogar o certame com a Suzantur, conforme previsto no artigo 24 da lei 8.666/93, a administração busca encontrar alternativas viáveis para que o serviço continue sendo prestado por mais seis meses de maneira emergencial.